Millennials milenares | Veronese Empreendimentos Pessoais

Imóveis

3 de outubro de 2019

Millennials milenares

Ultimamente temos ouvido sobre como o mercado deve se revolucionar para que possa atender as novas gerações de consumo: Y e Z. A maior característica destas gerações é a sua relação intrínseca com a internet e com o mundo conectado, em suas diversas configurações.

Parque Nacional Mesa Verde, Colorado. Fonte: National Park Service. https://www.nps.gov/meve/index.htm

O mercado imobiliário está bem alinhado com esta nova demanda de produto e estamos vendo cada vez mais lançamentos voltados à conectividade dos usuários, espaços de convivência em detrimento de espaços privativos, e serviços prestados dentro do próprio edifício, como lavanderia comum, espaço pet, dentre outros. Estes diferenciais são defendidos nos folders de vendas como elementos tecnológicos e inovadores.

Leia também: Edifício de uso misto é alternativa para minimizar problemas de mobilidade urbana.

Ao nosso ver todas estas características são válidas e merecem destaque, entretanto existe um ponto chave que raramente é abordado nestes empreendimentos: a sustentabilidade passiva. Diferente dos elementos que geram energia, a sustentabilidade passiva gera conforto utilizando os elementos naturais, evitando que seja gasto energia desnecessariamente.

Inventada desde que a primeira casa foi “construída” na savana africana com a junção de galhos e argila, a intenção dos moradores de se proteger dos elementos naturais era primordial para sua sobrevivência. Um dos maiores exemplos é o sítio arqueológico de Mesa Verde, no Colorado. Localizado em uma região de extremo sol, os nativos utilizaram uma imensa laje de pedra para se proteger do sol do verão, mas quando o sol do inverno se inclina, ilumina e aquece as edificações gerando conforto durante todas as estações do ano.

Com a democratização da eletricidade e consequente democratização do ar condicionado e das luminárias, conceitos como ventilação e iluminação natural passaram a ser coadjuvantes.

Para atendermos as novas gerações, entendemos que não existe conceito mais contemporâneo do que a utilização dos elementos naturais a favor da construção, para que a utilizemos racionalmente a energia e deixemos um planeta melhor para as futuras gerações.

Com isso em mente, em nosso primeiro contrato para um edifício residencial focado no público jovem, abraçamos a conectividade e a interação, que entendemos ser fundamentais para a qualidade de vida dos moradores; mas também abraçamos a importância de se abrir o edifício para o sol, inserir floreiras nas áreas comuns e privativas, e pensar em áreas com grandes aberturas para gerar qualidade de iluminação e ventilação natural.

Fachada Frontal Edifício Moove 1856. Arquitetura Studio CSD. Render: André Reche.
Área de Lazer na Cobertura Edifício Moove 1856. Arquitetura Studio CSD. Render: André Reche.
Sala Co-living Edifício Moove 1856. Arquitetura Studio CSD. Render: André Reche.

O edifício Moove 1856 possui salas comerciais e estúdios residenciais, ambos com 50m². Sua proposta é a de oferecer espaços privativos e comuns de grande qualidade para moradores e visitantes, e de quebra gastar menos nas contas de luz e ar condicionado.

Dados do autor:
Caio Smolarek Dias
Arquiteto de Cascavel/PR responsável pelo Residencial Moove e Domani.

Veja
Também

ACOMPANHE
NOSSOS SONHOS.

Receba nossa newsletter.

LIGUE PRA GENTE